Uma tentativa, sabida vã, de dar significação à vida.
Uma certeza de, na junção das letras, conferir à vida o meu significado.

22 de setembro de 2011

Vento do Sul

Wind of passion, de Irene Sheri
30 x 40 giclée em tela


"Se não conheço os mapas, escolho o imprevisto:
qualquer sinal é um bom presságio."
(Lya Luft)


Ah! Vento que chama,
que a mim proclama
histórias de amores.
Em si odores
de verde e de azul.

Ah! Vento do Sul
que a mim convida
Vem pra vida! Vem pra vida!

Vidaminha... Vidaminha...
Essa erva daninha
crescendo por dentro
rasgando o peito
de solidão e de dor.

Ah! Esse vento que chama
e de mim reclama
uma história de amor.

Ah! Vento do Sul!
Te aceito o convite
Vou! Vou!...



(Rio de Janeiro, outono de 2005)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por seu comentário. Volte sempre!