Uma tentativa, sabida vã, de dar significação à vida.
Uma certeza de, na junção das letras, conferir à vida o meu significado.

24 de agosto de 2013

Transgressão


The complete works, de Jonathan Wolstenholme (s/d)
36 x 40 aquarela em papel


"Viver deveria ser uma permanente reinvenção de nós mesmos."
(Lya Luft)


                  Era uma vez um verbo de ligação,
                  desses que conecta a ideia ao leitor
                  à moda de um cupido.
                                     
                  Certa noite, exprimindo estado ressentido,
                  pela revolta de há tanto não ser lido,
                  não mais suportou sua natureza: travestiu-se de ação.
                  
                  (Há quem ouça, sempre à zero hora,
                  o farfalhar das páginas respondendo à mão inquiridora.)


(Rio de Janeiro, 14 de março de 2013)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por seu comentário. Volte sempre!